24 de set de 2014

Seriados que Marcaram Gerações - Anos 90 e 2000

Hoje em dia as series de televisão são espetáculos a parte e ganham o mundo em poucos instantes graças à internet e as transmissões on demand. Porém nem sempre foi assim, a menos de trinta anos atrás as series de TV chegavam tempos depois no Brasil, e eram exibidos em poucas emissoras nacionais.
Uma das poucas emissoras que sempre apoiou e adotou as series em suas grades foi o SBT, essa postagem irá abordar algumas séries famosas que foram exibidas na década de 90 e início dos anos 2000.
O SBT Sistema Brasileiro de Televisão exibiu e ainda exibe alguns seriados, diferente dos tempos atuais, as series exibidas na década de 90 ocupavam horário nobre na emissora, e eram carros chefes de audiência.
Vários programas ficaram famosos graças as exibições de algumas séries, mas como o mérito da questão não são os programas iremos abordar apenas os seriados que ocuparam grande parte da infância dos jovens hoje com vinte, vinte e seis anos.
Dando destaque também a algumas séries exibidas exclusivamente em outras emissoras como a Rede Record de Televisão.



Blossom (1991)
O Sitcom Blossom foi criado por Don Reo e estreou no início do ano de 1991. Teve cinco temporadas e 114 episódios de 22 minutos cada exibidos até o ano de 1995. Estreou no Brasil em 1997 dois anos após o fim da série no SBT e tornou-se instantaneamente um dos programas de maior audiência do país.
O seriado abordava a vida da adolescente de 15 anos Blossom Russo interpretada por Mayim Bialik a Amy Farah Fowler do seriado The Big Bang Theory.
Blossom era uma garota inteligente e sarcástica, vivia como pai o músico amador Nick Russo e seus irmãos, a mãe havia se separado do pai e abandonado a família e mesmo sendo a caçula da família se destacava. A garota era muito conhecida por usar roupas de cores fortes e estilos nada combinando.
Os irmãos de Blossom era um caso à parte Joey (Joey Lawrence) – esse cara não interpreta ninguém com nome diferente? – assim como em Amor Fraternal (logo abaixo) Joey aqui também era um garoto vulgar, vaidoso e nada inteligente, sempre se achando perfeito e muito belo tudo na vida de Joey se resumia a garotas e ao beisebol, o outro irmão de Blossom era Anthony Russo (Michael Stoyanov) que assim como Joey era um completo idiota, ex-viciado em drogas passa o seriado tentando se recuperar do que chama o maior erro de sua vida.
Sendo as vezes comparada a Punk a Levada da Breca, Blossom conquistava a todos com seu carisma e disposição, sempre se preocupando com os familiares e amigos, Blossom passa por verdadeiros dilemas durante a série, o principal, como ser uma garota delicada e normal vivendo entre homens, seus problemas femininos só são resolvidos quando Agnes e Six entram em cena as duas ajudam Blossom a superar seus problemas e entender as transformações que seu corpo passa.
Abordando dilemas adolescentes femininos, como menstruação, namoro, fuga de casa, desentendimento com o pai, autoritarismo, uso de drogas e futuro a série trabalhava quase sempre de forma cômica assuntos tão recorrentes aos jovens daquela época.


O Mundo É dos Jovens (1993–2000)
Com cento e cinquenta e oito episódios exibidos em sete anos o seriado O mundo é dos Jovens do original Boy Meets Word criada por Michael Jacobs e April Kelly foi exibido inicialmente nos Estados Unidos no final do ano de 1993 e dois anos depois chegou as terras brasileiras.
Classificado como um seriado de Comédia, Sitcom e Drama Adolescente, abordava valores familiares, amizades, e respeito as autoridades o seriado apresentava situações cotidianos e outras não tão comuns de maneira inteligente e engraçada. Entre os assuntos abordados, destacava-se o alcoolismo entre jovens, os maus-tratos contra crianças e adolescentes, além do descaso e abandono por parte dos pais.
Em meio a isso ainda havia questões ligadas a escola e os primeiros amores.
Tendo como protagonistas o garoto curioso, bagunceiro e atrapalhado Cory Matthews interpretado Ben Savage, seu melhor amigo Shawn Hunter interpretado por Rider Strong e a sua belíssima e inteligente namorada Topanga Lawrence interpretando por Danielle Fishel.
Cory é um garoto de onze anos, que tem que dividir sua atenção com a família, os amigos Shawn e Topanga e os diversos inimigos que encontra na escola, sempre se metendo em inúmeras encrencas Cory cria soluções mirabolantes para resolver seus problemas. A fama que o seriado alcançou se deve a toda a visão cômica que os pais, professores e adultos da série veem os problemas que o garoto Cory enfrenta, sempre se perguntando por que tudo parece tão complicado para ele.
Cresci assistindo este seriado, e devo confessar que quando criança meu sonho era me casar com a Topanga, ter uma filha e chama-la de Topanga. Ser criança era mágico.
Um spin-off chamado Girl Meets World, Garota Conhece o Mundo em português estreou em 27 de junho em 2014 no Disney Channel.



Amor Fraternal (1995)
O sitcom Americano Brotherly Love estreou nos Estados Unidos em setembro de 1995, criada por Jonathan Schmock e Jim Valley ficou no ar por dois anos, exibindo um total de 40 episódios.
A série abordava a relação fraternal dos irmãos Joseph Roman – Joe (Joey Lawrence), Matthew Roman – Matt (Matthew Lawrence) e Andrew Roman – Andy (Andrew Lawrence).
A relação dos três irmãos e a fase de vida que cada um estava era abordada de forma cômica e ao mesmo tempo dramática, dando ênfase a situações cotidianas e a soluções nada plausíveis.
Na série Joe era o irmão mais velho, tinha vinte anos no início da série e era meio irmão dos outros dois, era um cara vaidoso, arrogante e ao mesmo tempo tinha um bom coração, sempre preocupado com a aparência Joe foi morar com a madrasta Claire e trabalhar na oficina mecânica da família.
Matt era o estranho da família, um adolescente de quinze anos, nerd, cantor, e metido a artista, sempre sedia as pressões dos amigos e dos irmãos. Ridicularizado quase o tempo todo por seus hábitos metódicos como passar horas lavando o mesmo prato ou dobras suas meias meticulosamente. Também era conhecido por nunca ter pegado catapora e por sua misofobia (fobia a germes).
Já o caçula Andy era um personagem a parte, sempre travesso e com uma imaginação louca vivia se fantasiando de personagens Marvel como Wolwerine e Homem Aranha, era sempre o primeiro a armar confusões e com sua carinha de cachorro pidão se escapava ileso. Além de possuir amigos imaginários como Sid e seus ódio inimaginável por brócolis.
Abordando assuntos desde a relação conturbada entre madrasta e enteado, a namoros adolescentes, primeiro beijo, sexo, espinhas e coisas cotidianas a série conquistou fãs no mundo todo.



Sétimo Céu (1996)
Do original 7th Heaven, o seriado criando por Brenda Hampton ficou no ar por onze anos e exibiu duzentos e quarenta e dois episódios, com 44 minutos cada.
Estreou em terras americanos no segundo semestre do ano 1996 e encerrou em maio de 2007, sendo por oito anos seguidos a maior fonte de audiência do canal The WB (Warner Bros).
Primeiramente exibido nos anos de 1996 a 2006 no canal The WB e depois no canal The CW de 2006 a 2007 nos Estados Unidos e no Brasil pelos canais pagos TeleUno e Sony e na TV aberta pelo SBT.
O seriado abordava a história dos Camden, uma família americana comum, liderada pelo reverendo protestante Eric Camden (Stephen Collins) e sua esposa a dona de casa Annie Camden (Catherine Hicks) na companhia de seus sete filhos, por essa razão o título Sétimo Céu.
Inicialmente não haviam os sete filhos, e sim cinco e o conjunto dos setes era completado pelos pais, mas ao longo dos anos outros filhos nasceram. Quase sempre concentrado nos dramas e conflitos familiares, bem como nos problemas individuais de cada um dos filhos, nos telespectadores crescemos juntos aos filhos da família Camden.
Os filhos dos Camden eram por ordem de nascimento: Matthew Camden (Barry Watson), Mary Camden (Jessica Biel), Lucy Camden (Beverley Mitchell), Simon Camden (David Gallagher), Ruthie Camden (Mackenzie Rosman) e os gêmeos Sam e David Camden (Nikolas e Zachary Brino).
É claro que haviam outros atores e atrizes de grande importância para a série, como Tyler Hoechlin (Martin Brewer) – atualmente em Teen Wolf, Haylie Duff (Sandy Jameson) e Ashley Tisdale (Janice Watson).
Como não poderia deixar de ser eu tinha meus personagens favoritos, Simon e Ruthie Camden ganharam a minha admiração logo nos primeiros episódios do seriado.
O garoto Simon Camden por ter enfrentado quase que exclusivamente sozinho a maioria dos problemas que a série retratou, ele foi de dramas colegiais, a namoros, sexo, e até mesmo a mortes. A força que o garoto demonstrava era estimulante e mesmo quando desabava estava sempre pensando em como ajudar os outros. E a pequena Ruthie Camden era a coisa mais meiga e perfeitinha que a série possuía, seu rosto redondo e seus cabelos cacheados eram um charme à parte e sempre que aparecia roubava a cena com frases inocentes porém profundas.



Gênio do Barulho (1997)
Do original Smart Guy a sitcom criada por Danny Kallis ficou no ar por três temporadas com um total de 51 episódios exibidos. Iniciando em abril de 1997 e encerrando em 1999.
O foco principal da série era o adorável e menino gênio TJ Henderson (Tahj Mowry) que devido a sua genialidade é promovido da quarta série primaria para o decimo grau do ensino médio, indo estudar na mesma escola em Washington, DC onde dos dois irmãos mais velhos Yvette (Essence Atkins) e Marcus (Jason Weaver) estudam.
Piedmont High é na maioria das vezes o principal cenário do seriado, essa escola acolhe o garoto de dez anos de forma cruel e o bullying é algo constante na vida do pequeno gênio. Ser uma criança superdotada e pequena em meio a selva que o colégio se torna o principal desafio de TJ, e o garoto acaba sendo vítima até mesmo do irmão.
TJ é hostilizado na escola e em casa, mesmo assim sempre possui uma saída de mestre para os problemas cotidianos e tenta ao máximo evitar que os problemas resvalem em seu pai o senhor Floyd Henderson (John Marshall Jones), já que ele sendo viúvo é o único alicerce familiar e busca sustentar os três filhos com seu próprio negócio de telhados. Geralmente é Yvette que ameniza as brigas entre os dois irmãos ou socorre TJ na escola.



Dose Dupla (1998)
Do original Two of a Kind, o seriado Dose Dupla era uma comedia familiar estrelada pelas gêmeas Mary Kate e Asheley Olsen, criado por Howard Adler e Robert Griffard ficou no ar por apenas um ano e exibiu 22 episódios.
A serie narrava a vida da família Burkle, lideradas pelo pai e professor de ciência Kevin Burkle (Christopher Sieber) e suas duas filhas gêmeas pré-adolescente Mary Kate e Ashley Burkle além da babá Carrie Moore (Sally Wheeler).
A série não se difere muito dos filmes que as gêmeas estrelaram em sua adolescência, o pai busca explicações cientificas para tudo, Mary Kate é uma menina moleque, e cujo interesse é apenas beisebol, já Ashley é a menina gênio da família que busca se tornar algo parecido com o pai.
Nesse contexto surge Carrie a caloura aluna de Kevin que se oferece para a vaga de babá das garotas, Kevin logo vê na moça um futuro problema, porém as gêmeas veem nela a chance de uma nova aventura amorosa para o pai e assim como em grande parte de seus filmes, buscam uni-los a todo custo, mesmo que precisem se meter nas maiores enrascadas possíveis.



O Homem da Casa (1999)
Do original Odd Man Out essa sitcom ficou no ar por apenas quatro meses, de setembro de 1999 a janeiro de 2000. Criada por Ed Decter e John J. Strauss a serie que teve apenas 13 episodios e uma única temporada chegou em 2000 ao Brasil sendo exibida pelo SBT.
A série narra a história de Andrew Whitney (Erik Von Detten), um garoto de quinze anos e o único homem em uma casa cheia de mulheres, três irmãs barulhentas, Valerie Whitney - Val (Vicki Davis), Paige (Natalia Cigliuti) e Elizabeth (Marina Malota), além de sua tia Jordan (Jessica Capshaw) e sua mãe Julia (Markie Post).
Ambientada em Miami, a série mostra a conturbada vida de Andrew que precisa lidar com as irmãs de 16, 14 e 12 anos que vivem implicando ou mesmo ignorando o pobre rapaz, além disso o rapaz é obrigado a se meter na vida amorosa da mãe que quase sempre faz péssimas escolhas.
Ao lado de Andrew sempre está seu melhor amigo e vizinho Keith Carlson (Trevor Fehrman) que além de aconselha-lo vive cantando as irmãs do rapaz.
Não consegui achar a abertura do seriado, porém vou deixar uma pequena cena do mesmo em inglês. 



Tal Mãe, Tal Filha (2000)
Do original Gilmore Girls essa série de comédia-drama foi criada por Amy Sherman-Palladino, ficou no ar por sete anos, estreando em outubro de 2000 a finalizando com episódio 153 em maio de 2007.
Estrelado pelas talentosíssimas Lauren Graham e Alexis Biedel, a serie contava a história do cotidiano de uma mãe solteira, Lorelai Victoria Gilmore (Lauren Graham) e sua tentativa de educar sozinha sua filha Lorelai Leigh Gilmore – Rory (Alexis Biedel) no povoado de Stars Hollow em Connecticut.
A série tinha como abordagem central assuntos pertinentes a família, como o relacionamento entre mãe e filha, amizades, conflitos entre gerações e classes sociais, o que destacava a série era geralmente os diálogos extremamente rápidos e sem ou com poucas pausas, exigindo total atenção do telespectador.
Ainda havia as abordagens técnicas a assuntos recorrentes da época, como política, o cenário cultural popular e a sociedade americana em geral.
Rory nasceu quando a mãe tinha apenas dezesseis anos, e esse é um dos motivos da superproteção dispensada a garota, pois, a mãe anseia que a filha supere suas dificuldades e mancadas na vida.
A mudança das duas para o pequeno povoado foi motivada pela entrada de Rory no Liceu de Chilton e para tal era necessário mudar-se de cidade, neste novo lar, ambas as garotas se envolveram em inúmeros casos amorosos, dando destaque ao relacionamento de Rory com Dean Forester (Jared Padalecki – Sam de Supernatural), relacionamento que dura por grande parte do seriado, Lorelai também se envolve romanticamente com os homens, incluindo o próprio pai de Rory e se professor em Chilton.
Durante toda a série somos apresentados as dificuldades de relacionamento entre as duas, mas nada que atravesse medidas dramáticas, sempre se reconciliando no final, as duas apresentam um cenário um pouco desconhecido do público brasileiro, a vida de alguém da classe média-alta americana.



Everwood: Uma Segunda Chance (2002)
Intitulado apenas de Everwood nos Estados Unidos, o drama criado por Greg Berlanti esteou em setembro de 2002 e ficou no ar até junho de 2006, totalizando quatro temporadas e 89 episodios de 44 minutos cada.
Ambientada na fira Everwood, Colorado, a série dramática, abordava temas como vida, morte, loucura e relação parental, entre outros temas dramáticos que permeavam a relação da família Brown.
Após a morte da esposa em um acidente de carro o doutor Andy Brown (Treat Williams) se muda para Everwood acompanhado de seus dois filhos o revoltado Ephram (Gregory Smith) de 16 anos e a doce Delia (Vivien Cardone), abandonar Nova York não foi algo fácil para os filhos, mas um alento necessário para superar a morte de Julia Brown.
A mudança para Everwood não é apenas uma fuga da dor, mas também uma forma que Andy encontra de ficar próximo a esposa, já que foi através da mulher que ele ficou sabendo da existência da pequena cidade, ao chegar a cidade o doutor Brown abre um pequeno consultório médico e passa a atender os seus pacientes gratuitamente, o que causa um certo desconforto entre ele e os médicos locais.
Ephram é o tipo de adolescente revoltado e que não vê no pai alguém que possa confiar, perseguido pelos populares do lugar e sendo considerado excêntrico e estranho pela maioria Ephram enfrenta de tudo um pouco, porem com a ajuda de pessoas que surgem em sua vida e na de sua família, como Amy Abbott (Emily VanCamp – Emily Thorne da série Revenge) namorada de Ephram ao longo da série e a enfermeira Edna Harper (Debra Mooney) que sempre parecia ter o conselho certo a dar.


Complete Savages (2004)
Exibida na TV Record, Adoráveis Selvagens é uma sitcom criada por Mike Scully e Julie Thacker que estreou em setembro de 2004 nos EUA, infelizmente uma série curta, teve apenas uma temporada e 19 episódios, atribuo seu fraco a participação do Erik von Detten, sério o coitado não consegue trabalhar em uma série por mais de uma temporada.
Em maio de 2010 voltou a ser exibida na Rede Bandeirantes com o nome Que Dureza, a série pertence a Mel Gibson e contou com ele em alguns episódios, além de ter como produtores os mesmos do desenho Os Simpsons.
A série abordava a vida de um pai solteiro tentando criar sozinho ou com a ajuda do irmão os cinco filhos adolescentes. Nick Savage (Keith Carradine) é um bombeiro que prefere encarar a morte a lidar com os problemas diários dos filhos, já que cada um possui uma personalidade diferente, por exemplo Sam (Andrew Eiden) é o filho nerd e responsável, Jack (Shaun Sipos) é o vaidoso da família e o mais popular da escola, Chris (Erik Von Detten – o mesmo de O Homem da Casa) é o filho bobinho e ingênuo, Kyle (Evan Ellingson) é o idiota da família, não liga para os afazeres de casa e pensa apenas em si próprio e T.J. (Jason Dolley) é o descompromissado e tranquilo.
Além dos cinco filhos Nick ainda tem que aguentar o irmão Jimmy (Vincent Ventresca) que é bombeiro como ele e sempre está tentando ajudar na casa, mas acaba tornando-se outro filho para o irmão que vive a corrigir suas burradas.
Além das confusões entre irmãos e os desafios de um pai, a série também apresenta dramas adolescentes como primeiro beijo, namoro, sexo, drogas, delinquência juvenil e outros inúmeros problemas que afeta a família Savage.






6 comentários:

  1. Tal mãe tal filha é a única que vi dessa lista,e é otima essa seria axoror.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adorava essa série, e recomendo que veja as outras, tenho certeza que vai adorar qualquer uma delas.

      Excluir
  2. Que nostálgico! Acho que estou ficando velha... hehehe
    É realmente maravilhoso que hoje tenhamos internet. Eu não tenho mais a paciência que eu tinha nessa época de esperar o próximo episódio :D
    Foi bem legal ler, tinha umas séries que eu nem lembrava mais. Fiquei com vontade de rever.

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tenho vontade rever algumas, como O mundo é dos jovens e Everwood mas me falta paciência para baixa-los.
      Beijos e obrigado por comentar.

      Excluir
  3. Dose dupla, Tal mãe, tal filha... Ah, minha infância. Haha
    Um maluco do pedaço também era Top.
    Gostei da lista,

    beijos!

    ResponderExcluir
  4. Faltou Friends :(
    Que marcou minha adolescência e até hoje nenhuma série de comédia conseguiu superar Friends pra mim!
    abraços e parabéns ao blog!

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre importante, por isso espero seu comentário!
Critique, de sugestões, elogie, comente.

Julielton Souza