4 de set de 2014

10 Seres Mitológicos mais Cotados na Literatura – Parte IV

Bom quando comecei esse top 10, planejava apenas uma publicação, mas escreve-lo me tomou muito tempo, e cada item estava ficando muito extenso, então decidi dividi-lo em três ou quatro postagens.
Com alguns atrasos e confesso com muita preguiça fui empurrando estas postagens, hoje definitivamente pretendia encerra-lo de vez, para dar seguimento com as postagens que programei para o mês de agosto e que acabaram sendo subjugadas e abandonadas.
Porém novamente, o texto ficou extenso e resolvi postar apenas mais duas posições, adiando assim o primeiro lugar para uma postagem futura, segue agora o terceiro e segundo lugar do 10 Seres Mitológicos mais cotados na Literatura.
Espero que se divirtam e não esqueçam de comentar.


3° Lugar: Lobisomem

Ocupando o terceiro lugar, encontramos uma figura amada e odiada por muitos, meio humano, meio lobo surge o lobisomem do século XXI, em muitos lugares um ser metrossexual, ambicioso e metido e em outros um ser arrogante, tosco e perigoso.
Lobisomem ou Licantropo é um ser mitológico, originário do continente europeu, e tem seu nome originário das palavras gregas Lykos e antropo (lobo e homem), e, é descrito como sendo um ser hibrido de homem com lobo.
Ou seja, é um ser com características humanas e caninas. Em algumas lendas, descrito como um ser mais lobo do que homem, ou as vezes mais homem que lobo.
Segundo as lendas, o lobisomem é um homem amaldiçoado ou com o poder de transformação em lobo durante a noite. Em alguns casos a lua é a maior influência para a transformação e sua condição provem de genética, em outros essa condição é adquirida através da mordida de outro lobisomem, ou mesmo ainda através da maldição de um mago ou bruxa.
Os grupos de lobisomens seguem geralmente um hierarquia, onde o líder é chamado de Alpha, e seus seguidores de Betas, ainda há os que não seguem ordens de um alpha e são chamados de ômegas.
Os lobisomens fazem parte da mitologia de quase todos os países, mesmo em terras brasileiras, há relatos dessa criatura. Segundo as histórias de nossos avos, o lobisomem brasileiro é o oitavo filho de uma mulher que antes deu à luz a sete filhas mulheres. Ou ainda, é o filho da relação pecaminosa entre um padre e uma mulher, é descrito como uma criança pálida e magricela, e ao completar treze anos sofre a primeira transformação.
Há quem diz que essa lenda nasceu devido as transformações corporais que aconteciam com os meninos ao passarem pela puberdade, e era usada apenas como uma forma de assustar o garoto que se via preocupado com o crescimento de pelos em partes indesejadas do corpo, rouquidão na voz, ombros mais largos e por ai vai e para se quebrar o encanto do lobisomem brasileiro é necessário simplesmente bater com força no topo de sua cabeça.
Se essa é realmente a origem, ninguém sabe, o importante é que essa postagem é sobre os lobisomens literários, é evidente o crescimento do desejo das pessoas em incorporarem essa criatura a seus sonhos e pesadelos. Em grande número na literatura, cinema e televisão os lobisomens estão presentes em livros brasileiros a internacionais, cita-se como exemplo, O Coronel e o Lobisomem, a Saga Crepúsculo e a série Alma?


O Coronel e o Lobisomem é um romance do escritor brasileiro José Cândido de Carvalho publicado em 1964. Nessa história J. C. Carvalho conta as aventuras e desventuras do Coronel Ponciano de Azeredo Furtado, um oficial superior da Guarda Nacional, residente em Campos dos Goitacazes, estado do Rio de Janeiro.
Um livro repleto de humor e em uma linguagem popular, ele é uma representação satírica do regionalismo brasileiro daquela época, um verdadeiro retrato da sociedade patriarcal presa as superstições e achismos da década de sessenta.
De certa forma, o narrador em primeira pessoa leva o leitor a imaginar e acreditar em suas histórias, o Coronel Ponciano narra neste romance sua luta árdua contra o lobisomem, o namoro que teve com uma sereia, as lutas animalescas de Vermelhinho seu galo de briga, as caçadas intermináveis a uma onça pintada, e, é claro como todo romance seu amor proibido por Esmeraldina. Descrito pelos outros personagens como um homem louco o Coronel apresenta suas histórias mirabolantes de forma tão veemente que se torna difícil desacreditar das suas histórias.
Mesmo sendo um livro abrasador repleto de minucias e fantásticas aventuras o ponto forte da narrativa é justamente o seu enfrentamento com o lobisomem, uma lutar árdua e deveras divertida, onde o leitor se quer descobre se realmente aquilo aconteceu, ou se de tanto contar essa história ela se tornou verídica pelo menos aos olhos do Coronel.
Esse livro foi adaptado diversas vezes desde sua publicação, conta atualmente com dois filmes homônimos, um produzido por Alcino Diniz em 1979 e o outro produzido por Maurício Farias em 2005. Há também uma novela exibida pela TV Cultura em 1982 e um especial exibido pela Rede Globo em 1995.
E na música a o CD O Coronel e o Lobisomem – Uma Comédia Fantástica que foi trilha sonora do filme de 2005 composto e gravado por Milton Nascimento e Caetano Veloso.


O livro Crepúsculo do original Twilight da autora Stephenie Meyer foi publicado em 2005 e, é o primeiro livro da saga homônima, que traz a protagonista Bella Swan a estudante que se vê de mudança para a cidade Forks, Washington onde encontra e se apaixona por Edward Cullen um vampiro.
Na história somos apresentados a um grupo de lobisomens bonitões, um grupo composto por descendentes de indígenas pertencentes a tribo Quileute, acontece que esses “índios” são também transmorfos dotados de corpos sarados e que podem se transformar completamente em lobo a mero desejo.
O lobisomem destaque da trama é Jacob Black, o bisneto do primeiro alfa do bando, no primeiro livro é um personagem secundário, mas ganha destaque nos livros seguintes e se torna o terceiro protagonista da saga, disputando a atenção, carinho e o coração de Bella. Ele é também inimigo declarado dos vampiros e consequentemente da família Cullen.
Jacob é um aficionado por carros e junto com seus amigos vive a monta-los e desmonta-los, na verdade leva dois livros para montar seu carro, quando seu pai dá a peça que faltava para a restauração de seu Volkswagen Rabbit 1986.
Jacob se torna lobisomem de verdade apenas no segundo livro da série, e no ultimo sofre imprinting (atração de almas gêmeas) pela filha de Bella e Edward, Renesmee. Nas adaptações cinematográficas é interpretado por Taylor Lautner.


Alma? O Protetorado da Sombrinha, é o primeiro livro da série de Gail Garriger e traz as aventuras da preternatural (pessoa sem alma) Alexia Tarabotti.
Alexia é uma solteirona, filha de italiano e que possui uma aparência desproporcional, além da antipatia que exala sempre que é abordada por algum pretendente. Nessa história também somos apresentados a uma Londres governada pela Rainha Vitória, uma governante que possui como conselheiros um lobisomem e um vampiro. Toda a Londres se vê em meio a lobisomens e vampiros vivendo como pessoas comuns.
O lobisomem protagonista da série Steampunk, é o assustador, temperamental e bagunceiro Lorde Conall Maccon, o chefe dos lobos que vivem na cidade de Londres.
Lorde Maccon é descrito por Alexia como um homem lindo de morrer e prepotente, ele por outro lado vê na moça a mulher perturbada e teimosa que seria a melhor parceira de um lobisomem.
Durante todo o primeiro livro somos levados a acompanhar o casal de aberrações a investigar o desaparecimento de diversas criaturas inglesas, o que torna Alexia importante para a história é justamente a capacidade de anular os poderes sobrenaturais dos lobos e dos vampiros.

  

2° Lugar: Bruxo

Segundo as mais variadas fontes Bruxo ou Bruxa são pessoas com muita inteligência, e que dominam as mais variados conhecimentos a respeito da natureza, além é claro de praticarem magia. Bruxaria ou magia negra para o mal e magia branca para o bem.
No passado as bruxas ganharam destaque e fora caçadas, acusadas e julgadas pela inquisição e foram punidas com enforcamento, apedrejamento ou queimadas na fogueira.
Curandeiras, especialistas em ervas medicinais, mulheres a frente de seu tempo, e até mesmo crianças foram acusadas de se unirem ao diabo e por tal ato de horror condenadas à morte.
Antes deve-se entender que no passado e até mesmo em nosso tempo, a distinção entre as bruxas do bem e do mal, é baseado em seus atos, aquelas que usam o conhecimento do natureza e que possuem o único objetivo de ajudar são chamadas de bruxas brancas, as que usam seus poderes para o mal, são as adeptas da magia negra.
O Brasil possui sua lenda, e assim como a do lobisomem diz que uma mulher que dê a luz a sete filhas, a sétima será uma bruxa. Vejam bem, a sétima é bruxa e o oitavo filho é lobisomem, o que seria as outras cinco filhas?
Na literatura essa espécie de ser mitológico é presente em diversas obras, desde os contos de fadas a sucessos atuais. Um exemplo, básico de suas aparições seria o conto de fadas Cinderela e a série de livros Harry Potter.
Porém deixemos os clássicos de fora, e abordemos livros um pouco menos conhecidos, para tal escolhi a série As Brumas de Avallon, e os livros Maligna e O Segredo da Plataforma 13.


As Brumas de Avalon é uma obra da escritora Marion Zimmer Bradley e conta com quatro volumes, sendo que o primeiro foi publicado nos Estados Unidos em 1979. Baseada no ciclo Arthuriano, a obra traz como protagonistas as personagens femininas do mito do Rei Arthur.
Viviane, Guinevere, Morgana e Morgause ocupam espaço significativo em todo o desenvolvimento do rei que se tornaria lenda, há na verdade uma belíssima reestruturação do universo do lendário Arthur.
Morgana Le Fay na obra de Zimmer é a típica bruxa dos tempos modernos, vista na época como uma sacerdotisa, em outras obras como fada. Morgana era a sacerdotisa da ilha de Avalon, na Bretanha e meia-irmã de Arthur. Ela foi treinada pela tia Viviane para se tornar a Senhora do Lago e para tal chegou a gerar um filho do próprio irmão, Mordred o filho deveria ser o presente dos deuses, mas acabou sendo o inimigo mortal do próprio pai.
Morgana é a personagem mais enigmática de todas as histórias e mesmo que não tenha praticado grandes bruxarias nesses livros, ocupa mais destaque do que sua tia Morgause ou ainda a tia Viviane que utiliza de seus poderes para procrastinar a crença cristã e promover a fé na Grande Mãe.


Em Maligna de Gregory Maguire, conhecemos um pouco melhor, a personagem clássica do Fantástico Mundo de Oz. Elphaba a temível bruxa má do oeste nasceu verde e com dentes afiados no leste, na terra dos Munchkins e passou por inúmeros percalços e desventuras até se estabelecer nas terras dos Winkies e se tornar a Maligna.
Nesse livro, não encontramos Oz como o paraíso utópico citado por Dorothy e sim uma terra dominada por um golpe de estado e governada por Oz. Elphaba foi enviada a uma escola no norte onde conhece Glinda e cria uma amizade conflituosa, durante seu tempo aqui a pequena futura bruxa do mal se mostra rebelde e sempre briga com os professores, porém é uma fã de leitura que prefere ficar em seu quarto lendo a procurar namoradinhos como a bruxa branca e amiga Glinda.
O autor nos mostra uma personagem amável, caridosa, repleta de predicados e que possui grandes e preciosos amigos, mas que por alguma razão acaba os perdendo e isso a tornou amargurada e rebelde, a rejeição sofrida a levou a seu status atual de fria, amarga e egoísta, porém no livro ela é uma incansável sonhadora que luta pelos direitos das minorias e pelas tirânicas decisões de Oz.
Gregory conseguiu humanizar Maligna a tal ponto de você se solidarizar com sua causa e entender os motivos que a levaram aos atos impensáveis das histórias de Dorothy.


Em O Segredo da Plataforma 13 de Eva Ibbotson, somos apresentados a Oti uma bruxinha que se difere da demais, filha de uma família conceituada de bruxas, Oti é uma bela garota sonhadora, cujas irmãs são verdadeiros monstros. Uma cospe sapos, outra tem sete dedos no pé, e a outra tem dentes azuis, somente Oti é comum.
Também somos apresentados a uma ilha misteriosa cuja porta para tal lugar somente se abre de nove em nove anos durante nove dias, esse portal fica debaixo da plataforma 13 da estação de trens Encruzilhada dos Reis em Londres. Essa ilha é habitada por magos, ogros, fadas e bruxas, é também o lar de Oti.
O livro narra então as aventuras de Oti ao lado de seus amigos, cada um pertencente a uma dessas criaturas, em busca do príncipe Raimundo Trootle que havia sido sequestrado nove anos atrás. Pelo caminho ela conhece Ben um jovem trabalhador que vive na casa dos Trootle que roubaram o bebe Raimundo.

Diferente de todas as histórias de bruxa, a história de Oti, Ben e Raimundo apresenta um lugar pacifico onde é possível viver com as diferenças e que nos faz acreditar na força da amizade. Mesmo sendo uma história infantil, merece seus minutos de fama.






4 comentários:

  1. Com certeza, lobisomens, bruxos e vampiros são seres muito utilizados na literatura atual! Falando nisso, estou lendo Alma?. haha
    Gostei muito de saber mais sobre a origem destes seres, muito interessante. :)
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com.br | Venha participar do sorteio que está rolando no blog, valendo um livro nacional incrível aqui!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, o Lobisomem também está em alguns livros que eu leio mesmo. Acredito que por serem seres que causam certo temor e ousadia chamam atenção. Muito legal o post!

    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  3. Vim parar aqui pelo nome do blog (que eu amei e me identifiquei, alias, eu estou sempre em uma dialética proposital haha) Adorei a postagem! acho que os vampiros atualmente nao sao mais os mesmos de antes... tipo crepúsculo (detesto) mas nada contra quem curte :)

    conclusoesnoturnas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não sou mto fã de lobisomens (ou os que li é que não me agradaram...rs), mas os bruxos já curto, estou com saudades de ler coisas desse gênero...rs

    Andy_Mon Petit Poison
    #ResumoDoPoison bit.ly/1uEsOvR

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre importante, por isso espero seu comentário!
Critique, de sugestões, elogie, comente.

Julielton Souza