26 de out de 2015

Livro #34: A Garota Que Eu Quero de Markus Zusak

Sabe quando uma boa divulgação e uma boa capa te conquistam e te fazem querer muito ler um livro?
A Garota Que Eu Quero de Markus Zusak, autor do best-seller “A Menina Que Roubava Livros”. O livro foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, anteriormente os dois primeiros livros da trilogia Irmãos Wolfie, Azarão e Bom de Briga foram publicados pela Editora Bertrand Brasil.

A pergunta inicial se justifica, a Editora Intrínseca realizou uma grande divulgação do livro no ano de 2013, e eu, é claro me encantei na hora pelo livro, embora nunca tenha lido nada do autor, esperava um clássico como as críticas do mundo todo afirmava ser. Isso, sem mencionar a capa muito sugestiva. A sinopse também não enganava, eu estava diante de um grande best seller, porém levei quase três anos para finalmente ler o livro.
Narrado em primeira pessoa por Cameron Wolfe, o terceiro filho da família Wolfe, o livro A Garota que Eu Quero, apresenta um narrador apático, introspectivo e tímido em excesso, ou como ele mesmo afirma, um perdedor.
Embora, se trate de uma trilogia, você não necessita lê-los em ordem, já que cada um trata de um período em especifico.
Além de Cam Wolfe, a família é composta, pelo pai um encanador que outrora sofrerá com o desemprego, mas que agora possui muito trabalho e leva Cam aos sábados para ajudá-lo. A mãe, Sra. Wolfe a péssima cozinheira que trabalha o dia todo limpando casas, e os irmãos mais velhos de Cam, Sarah a irmã, no passado deu uma de “fácil” agora após aprender com as constantes quedas está mais centrada e caseira, o irmão mais velho Steve, é bem sucedido, joga futebol e está morando com a namorada, e por último a Rube, o irmão estrela, aquele que conquista todas as garotas com um único sorriso.

10484883-horz
Embora, todos os membros da família, tenha sua cota de participação na narrativa, é Rube o antagonista da trama, ele é o oposto de Cam, cativante, bonito e forte, está sempre com uma namorada nova, e essa rotatividade de namoradas é o que dá ritmo a narrativa.
Rube namorava Octavia, a garota mais bonita e legal que Cam já conheceu, ela é música, toca gaita em troca de dinheiro e além de tudo mostra ser compreensiva e até gostar de Cam. Quando Rube termina com ela Cam, acha que ele cometeu o maior erro do mundo, até que Octavia se mostra afim de Cam.
Octavia é a garota que Cam quer. Ele quer se entregar de corpo e alma, mergulhar dentro da garota e faze-la feliz. Ama-la.

"Queria me afogar dentro de uma mulher, no sentimento e no enlevo do amor que poderia lhe dar.

Queria que a intensidade da pulsação dela me esmagasse.

Era isso que eu queria.

Era isso que eu queria ser."

Cada capítulo do livro é anteposto por uma espécie de metáfora poética escrita por Cam, as suas palavras, como ele as chama. São meio que um resumo metafórico de cada capitulo encerrado. E com certeza, dá um charme extra a história.
Cam, não é um personagem que você gostaria de conhecer pessoalmente, ele não é apenas tímido, é depressivo e se vê como alguém indigno de qualquer relação interpessoal, acho que não fossem as outras pessoas na narrativa eu terminaria este livro e ficaria depressivo por dias seguidos.
Entenda, Cam nunca namorou, nunca beijou na boca, nunca segurou a mão de uma garota, o mais próximo que teve de um relacionamento, é bancar o stalker de uma garota que namorou Rube, e que o achava estranho. Cam, várias vezes na semana anda até a casa desta garota e permanece de pé diante da casa como um maníaco perseguidor, um depravado, com uma tara estranha.
Porém isto muda quando Octavia o faz sair desta rotina.
E então, a narrativa muda, é incrível perceber a reviravolta de 180 graus da trama e do estilo narrativo, se antes você sentia pena por Cam e até tinha vontade de largar o livro, após Octavia Ash entrar em sua vida tudo muda. E você se percebe querendo mais, querendo saber se ele vai mesmo ficar com a garota, se Rube vai mesmo se meter em uma encrenca que não vai conseguir superar. Se Steve vai conseguir recuperar o carinho de Cam.
Porém, mesmo com a reviravolta, não é o livro que a publicidade da editora prometeu, não é o que esperava lendo a sinopse ou olhando a capa e não era o que eu esperava após ler inúmeras resenhas sobre o livro. Tá certo, que o livro demonstra bem o carinho fraternal entre os personagens, tá certo, que o livro demonstra bem como é possível superar as limitações que você próprio se coloca e ser feliz.
Mas de nada adianta se a história é fraca. Talvez pra quem ler a trilogia completa, este livro faça sentido, mas com o final abrupto que teve, para mim não fez sentido nenhum.
Sobre o aspecto físico do livro, não é o melhor trabalho da Intrínseca, embora a capa apresente boa fotografia, o texto conte com uma boa revisão, diagramação e espaçamento e tenha se escolhido um papel que proporcione uma boa leitura, o livro fica devendo.
De certa forma, foi decepcionante o livro, mas acho que se não esperasse tanto do livro, eu teria adorado a leitura que flui de maneira rápida e as vezes cômica. Porém, espera mais de algo escrito por Zusak. 

 

4


Dados do Livro
Titulo: A Garota Que Eu Quero (Irmãos Wolfe # 3)
Autor:
Markus Zusak
Preço de Capa: R$ 13,70
ISBN-13: 9788580573732
ISBN-10: 8580573734
Ano: 2013 / Páginas: 174
Idioma: português
Editora:
Intrínseca
Nota no Skoob: 3,8
Sinopse: O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.

Dados do Autor:
Gêneros Ficção | Nascimento: 23/06/1975 | Local: Austrália - Nova Gales do Sul – Sydney
Nota no Skoob:
4.8
Mais novo de quatro filhos de um austríaco e uma alemã, Markus cresceu ouvindo histórias a respeito da Alemanha Nazista, sobre o bombardeio de Munique e sobre judeus marchando pela pequena cidade alemã de sua mãe. Ele sempre soube que essa era uma história que ele queria contar.
"Nós temos essas imagens das marchas em fila de garotos e dos 'Heil Hitlers' e essa ideia de que todos na Alemanha estavam nisso juntos. Mas ainda haviam crianças rebeldes e pessoas que não seguiam as regras e pessoas que esconderam judeus e outras pessoas em suas casas. Então eis outro lado da Alemanha Nazista", disse Zusak numa entrevista com o The Sydney Morning Herald.
Aos 30 anos, Zusak já se firmou como um dos mais inovadores e poéticos romancistas dos dias de hoje. Com a publicação de "A Menina que Roubava Livros", ele foi batizado como um "fenômeno literário" por críticos australianos e norte-americanos. Zusak é o autor vencedor do prêmio de quatro livros para jovens: "The Underdog", "Fighting Ruben Wolfe", "Getting the Girl", e "Eu Sou o Mensageiro", receptor de um Printz Honor em 2006 por excelência em literatura jovem. Markus Zusak vive em Sydney com sua esposa e sua filha. Gosta de surfar e assistir filmes em seu tempo livre.

http---signatures.mylivesignature.com-54492-348-8CDC41FCD38DF5750D599C05656C608C

1 comentários:

  1. Há, nem preciso falar que "A Garota Que Eu Quero", já esta em minha lista um bom tempo kkkkkk
    Confesso, que sua visão me amplificou mais a que eu tinha e so aumentou minha vontade de ler, mas como eu detesto ler separado, provavelmente fara mais sentido para mim lendo em ordem.

    Bjsss

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre importante, por isso espero seu comentário!
Critique, de sugestões, elogie, comente.

Julielton Souza