6 de jun de 2015

Livro #29: Anna e o Beijo Francês de Stephanie Perkins

Sinopse

Anna e o Beijo FrancêsTítulo: Anna e o Beijo Francês / Autora: Stephanie Perkins / Ano: 2011 / Páginas: 288 / Editora: Novo Conceito

Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada. Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?

Nota no Skoob: 4.4


A Autora

Foto -Stephanie PerkinsGêneros Young Adult, Jovem Adulto | Local: USA - South Carolina

Stephanie Perkins (www.stephanieperkins.com) sempre trabalhou com livros - primeiro como vendedora, depois como bibliotecária e agora como romancista. Adora café moca, contos de fadas, música alta, caminhadas na vizinhança, chá de jasmim e tirar sonecas à tarde. E beijar. Stephanie e seu marido moram nas montanhas do norte da Califórnia.

Nota no Skoob: 4.8


Preliminares

Texto na imagem: É possivel que o lar seja uma pessoa e não um lugar? Fonte: http://systrophyness.tumblr.com/

"Quem manda os filhos para um internato? É tão Hogwarts. Só que no meu não tem feiticeiros bonitinhos, balinhas mágicas ou aulas de voo" - Anna.

"Eu a amo como certas coisas obscuras são amadas, secretamente, entre a sombra e a alma" - Étienne.

"Para nós dois, lar não é um lugar. É uma pessoa. E estamos finalmente em casa." – Anna.

 


Dialética

Para começar, vou logo dizendo a verdade.

Quando ganhei este livro, o ignorei por completo, não via com bons olhos um livro com um título como: Anna e o beijo francês. Não me parecia como uma leitura que gostaria de iniciar, não só por ser reconhecidamente um romance como também por ser, e ainda é, o primeiro livro de Stephanie Perkins que li.

Porém, como sempre gosto de ressaltar, este livro foi além dos meus (pré)conceitos, me cativou de tal forma que o li em um único dia. Não se trata de um romance elaborado, rebuscado e cheio de firulas e desencontros e algo bem casual, leve e tranquilo. Algo bom de se acompanhar depois de uma leitura mais densa e pesada.

Para começo de conversa o livro é narrado pela protagonista Anna Oliphant, uma jovem de dezessete anos que tem uma vida tranquila em Atlanta, Estados Unidos, ela acabou de completar dezessete anos, e começou um namorico com o garoto mais desejado da cidade.

Tem sua melhor amiga, Bridgette, uma baterista que sempre esteve ao seu lado, e ainda mora com sua mãe e seu irmão caçula, uma vidinha americana típica dos filmes adolescentes ou dos seriados Disney.

Anna ainda é filha de um famoso escritor de romances bregas, (só para constar acho que a autora usou John Green como exemplo), que faz sucesso vendendo livros sobre pessoas doentes e seus romances.

Você deve estar se perguntando mais onde entra o bendito beijo francês na história?

Pois saiba que ele surge no momento que o pai de Anna a envia para um internato na França, e não é qualquer internato, é uma escola elitista, onde apenas os mais ricos estudam, mas não se engane, não se trata de uma escola francesa, e sim uma escola americana para americanos.

No internato Anna faz amizades com Meredith sua colega de andar e de porta, e com Étienne St. Clair ou apenas St. Clair, e, é com esse indivíduo que Anna vai desenvolver um romance a princípio baseado em uma amizade pura e sincera que evoluirá para o namoro e como consequência com cenas de beijos ardentes em público.

O livro como disse não é aquele romance extremo repleto de cenas de ciúmes, rompimentos e desencontros, é claro que há cenas assim, mas são poucas. A princípio o livro é focado na saudade de Anna por sua casa, seus amigos e pelo garoto que deixou para trás, mas aos poucos graças a St. Clair ela começa a reconhecer como é maravilhoso viver na cidade luz. Entre visitas a centros históricos, cinemas com filmes antigos e legendados, aulas conjuntas e reuniões no café-da-manhã, Anna vai começando a construir um novo lar.

Anna é uma protagonista forte, irritadiça e não se sente confortável com quem é, porém ela também é uma amiga fiel, carinhosa e compreensível e são essas qualidades e defeitos que dão a tônica ao romance, pois, são elas que impedem Anna de se jogar de cabeça no namoro com St. Claire.

Ele por sua vez é o típico príncipe encantado, descrito como perfeito, mas com o cabelo magicamente despenteado, baixinho mas com um sorriso de derreter os polos, e com um olhar encantador. E talvez por ser assim tão previsível, (tão comum aos príncipes dos romances de mulherzinha que tem por ai) que eu tenha detestado o cara, sério, ô menino chato.

Gente antes de me crucificarem (principalmente as meninas) eu explico: o papo de ficar com a namorada para não machuca-la, é balela demais, porque afinal, se você não quer machucar aquela pessoa que está ao seu lado, jamais vai jogar charme para sua melhor amiga e para a garota nova ao mesmo tempo. E o lance do sotaque londrino misturado com sotaque francês, é tão previsível.

O cara não tem imperfeições, é atencioso quando precisa, carinhoso quando convém, duro quando o momento pede. Acho que a autora construiu um personagem que ela amaria, ela o construiu para ela e não para os leitores, infelizmente todas as meninas que leem o livro se encantam instantaneamente pelo príncipe londrino-francês-americano.

O Tumblr systrophyness organizou um DreamCast para Anna e o Beijo Francês, concordo com as escolhas para St. Clair e Anna, os demais passaram longe do que imaginei.

Anna and the French Kiss by Stephanie Perkins

Sobre o livro em si, a editora Novo Conceito caprichou nos detalhes, a capa é deslumbrante com efeitos em alto relevo, a diagramação e revisão são adequadas, embora exista alguns erros de digitação, e a tradução foi assertiva, contudo as passagens onde se menciona o sotaque de St. Claire, apenas quem está acostumado com o inglês britânico e sabe diferencia-lo do americano consegue entender as referências.

Eu o indico para quem gosta de um livro mais calminho, e embora não seja um livro fininho, dá para ler em uma única sentada.

Anna e o beijo francês é o primeiro livro de uma série de 3 livros chamado: Anna, Lola e Isla, e é seguido por: Lola e o garoto da casa ao lado e Isla e o Final Feliz. Os dois primeiros livros foram lançados pela Editora Novo Conceito e o ultimo pela Editora Intrinseca.

Anna e o Beijo FrancêsLola e o Garoto da Casa ao LadoIsla e o Final Feliz

 

http---signatures.mylivesignature.com-54492-348-8CDC41FCD38DF5750D599C05656C608C

3 comentários:

  1. Julielton!
    Não sou nenhuma menina, ao contrário, já tenho meio século e ainda assim, adorei ler os dois primeiros livros da série...kkkk
    Adoro tudo que se relaciona a França e por isso Ana e o Beijo Francês foi um livro fabuloso de ser lido.
    “A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor.”(Joseph Addison)
    Cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participe no nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  2. Acho que assim como você, eu tive um pouco de preconceito com o livro logo de cara. Mas ao ler sua resenha percebi que o livro é bem mais do que aparenta ser. Eu estou quase o comprando porém em uma versão inglês, pois li em alguns blogs que o inglês deste livro é fácil e bom para quem está começando.

    Ótima resenha!
    www.booksever.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá!!
    Já tinha ouvido falar sobre esse livro, mas nada que tenha despertado meu interesse. Porem, lendo sua resenha fiquei super curiosa com a historia parece ser apaixonante. Já coloquei na minha lista de desejados. Grande Abraço.

    ResponderExcluir

Sua opinião é sempre importante, por isso espero seu comentário!
Critique, de sugestões, elogie, comente.

Julielton Souza